mostra competitiva

A curadoria da sexta edição do Festival de Cinema Indígena – Cine Kurumin selecionou um conjunto de filmes com diferentes cosmovisões indígenas e debates em torno de questões fundamentais da contemporaneidade como a crise ambiental. Espremidos entre mineradoras, hidrelétricas, latifúndios de soja e fazendas de gado, povos indígenas acenam para outros modelos de interação/relação com o mundo e refletem isso em suas imagens.

Recebemos, no total, 155 inscrições de produções audiovisuais com temática indígena, originárias do Brasil e de países das Américas, Ásia e Europa. Depois da incrível experiência de assistir a todos esses filmes e da árdua tarefa de realizar escolhas, apresentamos as produções selecionadas para o Cine Kurumin. Temos a imensa satisfação em compartilhar esse conjunto de obras sobre os povos indígenas, englobando mais de trinta línguas, oriundas do universo de 45 povos indígenas, originárias de dez países diferentes. Um viva à diversidade! E um chamado para ver e ouvir o que esses povos têm a dizer!

No processo seletivo, reunimos filmes sobre diversos povos e países, buscando priorizar realizações de cineastas indígenas, de diretoras mulheres e obras que tecem diálogos com o tema principal do festival esse ano: Da minha aldeia vejo o mundo, uma referência à cosmovisão indígena e seu olhar sobre os desafios do mundo contemporâneo. São filmes sobre os impactos socioambientais que grandes obras têm gerado para comunidades tradicionais, afetando suas terras e suas águas, até temáticas sobre o universo das crianças indígenas, o empoderamento feminino, os saberes cosmológicos e ritualísticos, as histórias de resiliência, as inúmeras lutas de resistência e as aprendizagens afetivas no cotidiano.

curadoria Aline Frey, Naine Terena e Thaís Brito

■ MÉDIAS E LONGAS ■

■ CURTAS NACIONAIS ■

■ CURTAS INTERNACIONAIS ■