sessão especial
volta grande do Xingu

É na Volta Grande do Xingu que se ergue a Usina Hidrelétrica de Belo Monte com arrasadores impactos socioambientais para os povos Juruna e Arara da Volta Grande. A mostra apresenta dois filmes realizados no processo de compensação da hidrelétrica. Um deles retrata as transformações impulsionadas por Belo Monte sobre o modo de vida indígena. O segundo conta a história de reencontro dos Yudjá/Juruna, que somavam cerca de 2 mil indígenas no século XIX e, em menos de 20 anos depois do primeiro contato com os brancos, foram reduzidos a menos de 10% de sua população. O mundo desses indígenas foi completamente modificado, mas sobrevivente. Em meio a esta terrível experiência de diminuição drástica da população, uma parte deles migrou e hoje encontra-se no Parque Indígena do Xingu, se reconhecem como Yudjá. Outra parte ficou na Volta Grande do Xingu. O filme narra esse reencontro que acontece mais de cem anos depois.

curadoria Thaís Brito